Tô Na Estrada http://tonaestrada.com.br Paixão por Motociclismo, Aventura & Lifestyle Tue, 08 Sep 2020 17:34:57 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.5.1 http://tonaestrada.com.br/wp-content/uploads/2019/03/cropped-logotipo-to-na-estrada-114x114-1-32x32.png Tô Na Estrada http://tonaestrada.com.br 32 32 BMW GS completa quarenta anos http://tonaestrada.com.br/bmw-gs-completa-quarenta-anos/ Tue, 08 Sep 2020 17:34:24 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3569 O modelo BMW GS que inventou o conceito de trilha chega aos quarenta anos de vida e continua tão relevante no cenário motociclístico quanto o primeiro dia. A saga histórica do BMW GS. No outono de 1980, foi apresentada a primeira BMW R 80 G / S, um novo conceito de motocicleta que combinava dois […]

O post BMW GS completa quarenta anos apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
O modelo BMW GS que inventou o conceito de trilha chega aos quarenta anos de vida e continua tão relevante no cenário motociclístico quanto o primeiro dia.

A saga histórica do BMW GS.

No outono de 1980, foi apresentada a primeira BMW R 80 G / S, um novo conceito de motocicleta que combinava dois terrenos aparentemente antagônicos: estrada e campo. Pela primeira vez, uma motocicleta de turismo foi apresentada com capacidade suficiente para enfrentar a pilotagem off-road, sem ter que abrir mão do conforto do uso diário. Desta forma, a BMW colocou um novo conceito de moto no mercado as trail bikes ou, como a BMW Motorrad gostava de dizer: as motos de enduro de turismo. Desde então, a BMW produziu mais de 1,2 milhão de BMW GS’s.

A BMW GS rapidamente se tornou um modelo de sucesso, também apoiado pelos grandes resultados esportivos obtidos no Rally Paris-Dakar, onde a BMW tinha presença oficial desde 1981. Naquele ano Hubert Auriol conquistou a vitória, repetindo-se dois anos depois, e então Gaston Rahier conseguiu mais duas vitórias consecutivas que consolidaram o mito aventureiro da GS e seu motor boxer, confirmando suas qualidades, seu conforto e robustez, que têm sido as chaves de seu sucesso ao longo desses quarenta anos.

BMW GS 40 anos

Ao longo deste tempo, a GS cresceu, tanto em deslocamento como em equipamentos e tecnologia. Com a chegada da R 1100 GS, a BMW introduziu a “cabeça” do cilindro com 4 válvulas, atingindo uma potência de 80 cv. Deu um passo à frente em termos de conceito de design. O motor passou a ser um elemento de sustentação e as suspensões incorporaram novos sistemas, como o Paralever, que eliminou os efeitos e reações do eixo de transmissão na suspensão traseira, e o Telelever, na roda dianteira, um sistema inovador para a suspensão dianteira da motocicleta.

Além disso, a GS incorporou um sistema de freios ABS, tornando-se na primeira moto big trail a contar com este assistente.

A família cresce

Desde 1993, a família GS é acompanhada pela série F. A BMW F 650 GS foi a primeira monocilíndrica com injeção eletrônica, catalisador e ABS. Como no caso de sua irmã mais velha, a F 650 GS também teve uma projeção esportiva, alcançando duas vitórias no Rally Dakar pelas mãos de Richard Sainct . Em 2007, aconteceu mais um avanço dentro da série F ao desenvolver os modelos F 650 GS e F 800 GS, equipados com um motor de dois cilindros em linha, com alto torque e uma estrutura tubular rígida.

Em 2009, a evolução do conceito GS deu mais um passo em frente com o lançamento da R 1200 GS, equipada com um motor boxer DOHC de 110 cv, caracterizado pela sua dinâmica de condução avançada. Foi uma homenagem à saga GS no seu 30º aniversário, que foi celebrado com o lançamento de vários modelos especiais “GS 30 anos”, com a R 1200 GS, a R 1200 GS Adventure, a F 800 GS e a F 650 GS pintadas com as cores corporativas do BMW Motorrad Motorsport.

No mesmo ano, a chegada da nova BMW G 650 GS significou a adição de outro modelo à saga. Uma moto cheia de estilo, uma trail ousada, leve e aventureira, que se destacou pela qualidade, equipamento e conforto, uma moto acessível graças ao seu peso relativamente baixo e altura reduzida.

Resfriamento misto

O desenvolvimento e a evolução natural do conceito GS levaram à introdução em 2012 de seu novo motor boxer completamente redesenhado, com um sistema de resfriamento misto ar / líquido, com cabeçotes de fluxo vertical, caixa de câmbio integrada e acionamento do eixo esquerdo. O quadro foi renovado e sistemas de controle eletrônico como novo ABS e controle de tração foram integrados. A potência já alcançava 125 cv, mas o GS ainda oferecia fácil manuseio e excelente desempenho.

Em março de 2014, a série GS atingiu um marco importante: a fábrica de Berlim produziu a BMW de número 500.000 da série GS, especificamente uma GS 1200 Adventure.

A família BMW GS cobre todos os segmentos e cilindradas do mercado, de 310 a 1.200 cc

A família GS continuou a crescer em 2016, quando a BMW Motorrad apresentou a G 310 GS, um novo modelo que manteve a essência da saga transferida para o segmento de menos de 500 cc, se tornou uma opção versátil para o grupo de motos que poderíamos chamar “de entrada”.

Ao mesmo tempo, a BMW Motorrad ampliou as opções disponíveis para os clientes da R 1200 GS, criando os pacotes Rallye e Exclusive, que deram a cada modelo um toque distinto.

Novas direções

A personalização do conceito GS continuou com uma interpretação completamente diferente com a entrada em cena da R Nine T Urban G / S, remetendo diretamente ao modelo R 80 G / S original de 1980, mas convenientemente atualizado para os tempos de hoje, desfrutando do poderoso motor boxer de 110 cv e transmissão de seis marchas.

Em 2017, houve um redesenho completo com as BMW F 750 GS e F 850 ​​GS, sucessoras da F 650 GS, F 700 GS e F 800 GS. Os novos modelos mantiveram a essência da família, beneficiando-se de um novo motor de dois cilindros em linha com dois veios de equilíbrio e uma nova ordem de ignição que otimizou as características de condução e a “emocionalidade” do seu som, atingindo 77 CV de potência para o F 750 GS e 95 cv para o F 850 ​​GS, com seu motor de 853 cc.  

BMW GS 40 anos

O redesign total veio em 2018, quando a BMW Motorrad introduziu sua atualização mais radical nos modelos GS de grande cilindrada com o objetivo de melhorar a entrega de potência e torque, e reduzir o consumo de combustível e as emissões. Pela primeira vez, ela usou a tecnologia ShiftCam da BMW em motores de motocicleta, um sistema de admissão variável que permite vários tempos de válvula e curso da válvula no lado da admissão. Os eixos de comando de admissão foram projetados para a abertura assíncrona das duas válvulas de admissão, o que resultou em mais turbilhonamento da mistura de entrada e, portanto, uma combustão mais eficiente.

Também foram feitas alterações na transmissão do eixo de comando – agora por corrente dentada -, e o abastecimento de óleo, válvulas de injeção de duplo jato e um novo sistema de escapamento foram otimizados, levando a evolução da GS a um patamar superior. O que permite que a linha GS continue na vanguarda da inovação e tecnologia quarenta anos após o seu lançamento. E que dure mais quarenta anos, pelo menos.

O post BMW GS completa quarenta anos apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Yamaha XT 500 H2O – um novo conceito de moto movida a água! http://tonaestrada.com.br/yamaha-xt-500-h2o-um-novo-conceito-de-moto-movida-a-agua/ Wed, 19 Aug 2020 23:40:12 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3558 Enquanto pensávamos que a Yamaha Tenere 700 estava “causando” utilizando apenas água para resfriar seu motor de combustão tradicional, imagens incríveis de um protótipo digital do artista e designer industrial Maxime Lefebvre apresentam a Yamaha XT 500 H2O, uma moto MOVIDA A ÁGUA. Embora não se pareça em nada com a XT500 tradicional (ou qualquer […]

O post Yamaha XT 500 H2O – um novo conceito de moto movida a água! apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Enquanto pensávamos que a Yamaha Tenere 700 estava “causando” utilizando apenas água para resfriar seu motor de combustão tradicional, imagens incríveis de um protótipo digital do artista e designer industrial Maxime Lefebvre apresentam a Yamaha XT 500 H2O, uma moto MOVIDA A ÁGUA.

Yamaha XT500 H2O – um novo conceito de moto movida a água!

Embora não se pareça em nada com a XT500 tradicional (ou qualquer coisa parecida com uma dual-sport), a ideia de um motor movido a água é fascinante. Já que o aumento da quantidade de notícias sobre motocicletas elétricas nos últimos anos tem ofuscado as discussões sobre outros sistemas alternativos de motores, como esse da Yamaha XT 500 H2O.

Yamaha XT500 H2O – um novo conceito de moto movida a água!

Veja abaixo a evolução das ilustrações até chegar no intencional “espírito off-road” da máquina, embora quase nada disso tenha chegado à versão modelada em 3D.

Yamaha XT500 H2O – um novo conceito de moto movida a água!

Obviamente que há vários problemas funcionais neste protótipo digital, bem como a completa falta de detalhes sobre como esse motor revolucionário funcionaria, o que torna tudo um sonho muito distante. Porém, queremos frisar que gostamos muito dessa arte aqui no TÔ NA ESTRADA e, ao mesmo tempo, nos faz pensar: seriam outras formas de energia, além da elétrica, práticas para o uso em pequenos veículos? Além disso, as motos dual-sport estão se tornando um modelo a ser copiado para novos modelos de motos?

Yamaha XT500 H2O – um novo conceito de moto movida a água!

O motor descrito aqui é diferente de tudo que vimos antes, e bem oposto ao da Burgman, da Suzuki, que é movida a célula de hidrogênio que reage com oxigênio, produzindo eletricidade e água.

O texto da arte descreve: “O modelo conceito está equipado com um motor hidráulico. Basicamente, esse motor só precisa de água, mais precisamente de uma bomba d’água. Quase sem perdas, esse motor se encaixa perfeitamente com a filosofia da XT: vá longe, para todos os lugares, e com simplicidade.” Porém, duas das afirmações contidas no texto não ficaram “muito claras” e beiram o “impossível”. Mesmo que este seja um sistema de propulsão a jato de água de alta pressão, de onde viria a energia? Além disso, quais são as chances de ser mais silencioso do que um motor elétrico?

Também interessante é o conceito da Honda Maxime, que parece ser 100% inspirada na série animada Rideback de Tetsuro Kasahara. Se você gosta de mangás e motocicletas, Rideback é imperdível.

Não recomendamos a ninguém perder noites de sono à espera da novidade, mas é legal sonhar! E como a parceria entre a Yamaha e Lefebvre parece ser oficial, somos levados a crer que a nova Yamaha XT 500 H2O estaria apta a se tornar realidade.

Os rumores de que ela iria para produção em 2025 nos parecem improváveis, mas “milagres” acontecem. Por enquanto, estamos felizes em esperar a chegada da Yamaha Tenere 700, que é muito esperada por todos no país e parece ter um futuro promissor, usando água apenas para resfriar seu motor de combustão tradicional.

O post Yamaha XT 500 H2O – um novo conceito de moto movida a água! apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Honda África Twin 850: os rumores são verdadeiros? http://tonaestrada.com.br/honda-africa-twin-850-os-rumores-sao-verdadeiros/ Thu, 13 Aug 2020 22:30:46 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3549 Alguns rumores em torno da Honda vêm surgindo nos últimos tempos. Apesar de, por enquanto, serem apenas boatos, muitos amantes da marca já estão se empolgando e espalhando rapidamente a novidade. E sobre o que seriam esses boatos? Supostamente uma África Twin 850 chegará (tomara) ao mercado em 2021! Mas, o que exatamente seria a […]

O post Honda África Twin 850: os rumores são verdadeiros? apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Alguns rumores em torno da Honda vêm surgindo nos últimos tempos. Apesar de, por enquanto, serem apenas boatos, muitos amantes da marca já estão se empolgando e espalhando rapidamente a novidade. E sobre o que seriam esses boatos? Supostamente uma África Twin 850 chegará (tomara) ao mercado em 2021!

Honda África Twin 850
Rendering by https://www.autoby.jp/

Mas, o que exatamente seria a Honda CRF850L África Twin e por que devemos nos animar tanto com ela? De acordo com os boatos, o modelo tende a ser a nova ADV bike de média cilindrada da marca.

E por que uma CRF850L? Por que agora?

A Honda já conhece o mercado de ADV bikes, haja visto a Honda CRF1000L África Twin e a sofisticada África Twin Adventure Sports. Ambas são motocicletas altamente capacitadas para viagens longas e para o off-road, e estão recebendo melhorias significativas para o ano/modelo de 2021.

Na verdade, ambas serão agora chamadas de CRF1100L após um aumento na medida dos cilindros em 6,4 mm, que resultou numa capacidade cúbica maior (de 1.084 cc).

Honda África Twin 850
Foto: África Twin 1100

Mas qual a verdadeira razão para a criação da CRF850L África Twin?

O aumento no tamanho do motor da África Twin deixa uma lacuna a ser preenchida por uma motocicleta de aventura de médio porte na linha da Honda. Ao mesmo tempo em que a fábrica irá entrar em uma categoria altamente competitiva que é dominada principalmente por fabricantes europeus.

Adicionar a CRF850L à linha de motos de aventura criará uma oportunidade para a Honda conquistar os pilotos mais novos ou menos experientes, que procuram uma motocicleta menor.

Pense na África Twin de médio porte como um trampolim entre a CB500X básica ou a resistente CRF450L, e a sua “irmã maior” e tecnologicamente avançada CRF1100L África Twin.

Qual será a aparência da CRF850L África Twin?

Honda África Twin 850
Rendering by https://www.autoby.jp/

Podemos esperar uma plataforma de motor totalmente nova da Honda, chegando na forma de 800-850cc com refrigeração líquida e quatro tempos, com dois cilindros paralelos.

Considerando que essa nova plataforma terá que atender aos padrões restritos de emissões Euro 5 e os números que vimos recentemente de concorrentes de tamanho semelhante, esperamos que a África Twin 850 produza cerca de 90 cavalos de potência. E promete ser extremamente fácil de pilotar, no estilo típico da Honda.

Um conjunto completo de componentes eletrônicos de auxílio ao piloto também é esperado na África Twin 850, incluindo ABS selecionável, controle de tração e modos de entrega de potência através de um sistema acelerador por fio derivado do África Twin 1100.

A Honda, provavelmente, também usará o mesmo painel TFT colorido de 6,5 polegadas usado no 1100, e o Apple CarPlay poderá estar disponível na 850. O “cruiser control” (piloto automático) também deverá estar presente no modelo.

A África Twin 850 terá uma estrutura de berço semi-duplo de aço derivada do 1100, enquanto emprega suspensão Showa de longo curso para absorver todas as imperfeições das estradas de terra, trilha e asfalto. Também é esperada uma roda dianteira de 21 polegadas e uma roda traseira de 18 polegadas, oferecendo grande capacidade off-road.

Haverá um modelo África Twin Adventure Sports?

Assim como o 1100 África Twin, esperamos um acabamento Adventure Sports de alto desempenho e capacidade para a 850. E para atender às viagens de longas distâncias, provavelmente tenhamos mais capacidade de combustível, suspensão semiativa Showa EERA, uma bolha frontal ajustável, pneus sem câmara e muito mais!

Mas, é claro, isso terá um custo adicional, assim como no modelo 1100.

Honda África Twin 850
Foto: África Twin 1100

A “peso médio” da África Twin entrará em um mercado feroz e em expansão, de máquinas de tamanhos semelhantes, a maioria comandada por fabricantes europeus.

A competição inclui a BMW F 850 GS e a Triumph Tiger 800, bem como a nova KTM 790 Adventure e, mais focada no off-road, a 790 Adventure R. A Yamaha Tenere 700 também servirá como competidora dura para a CRF850L.

Quando esperar a África Twin 850?

Se realmente a Honda quiser ocupar o mercado de ADV colocando o África Twin 850 em produção, provavelmente não a veremos chegar ao mercado (internacional) até o ano/modelo de 2021.

Nós vimos as fotos, mas os projetos, os testes e a produção de um modelo totalmente novo não é uma tarefa fácil, e a Honda não faz nada pela metade.

Isso, e considerando que a Honda acaba de lançar a CRF1100L altamente atualizado nos Estados Unidos, provavelmente a fábrica não vá querer estragar a agitação em torno do seu modelo principal.

Pessoalmente, espero ver um anúncio oficial da África Twin em algum momento do evento EICMA 2020 em Milão, na Itália.

Até lá continuaremos sonhando acordados com a ideia de detonar com a 850 pelas estradas de terra!

O post Honda África Twin 850: os rumores são verdadeiros? apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Escrever um livro: como consegui começar! http://tonaestrada.com.br/escrever-um-livro-como-consegui-comecar/ Tue, 04 Aug 2020 21:56:50 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3531 Comecei a pilotar motocicleta com 16 anos de idade. Aos 18, comprei minha primeira moto e, desde então, nunca mais parei de rodar. Motocicleta sempre foi sinônimo de liberdade para mim. E, por sempre ter sido extremamente interessado em expandir meus conhecimentos sobre lugares, pessoas, costumes, culturas, etc. e viver num “mundo sem Google” e […]

O post Escrever um livro: como consegui começar! apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Comecei a pilotar motocicleta com 16 anos de idade. Aos 18, comprei minha primeira moto e, desde então, nunca mais parei de rodar.

Motocicleta sempre foi sinônimo de liberdade para mim. E, por sempre ter sido extremamente interessado em expandir meus conhecimentos sobre lugares, pessoas, costumes, culturas, etc. e viver num “mundo sem Google” e outras alternativas tecnológicas, o único jeito era conhecer as coisas in loco (que por sinal é o melhor jeito, de qualquer maneira e em qualquer tempo). E neste quesito, a motocicleta me deu uma liberdade que eu nunca havia experimentado. Em poucas horas eu estava há centenas de quilômetros de onde morava, explorando, conhecendo e vivendo coisas novas, construindo novas histórias.

Fotos de moto por Peru, Argentina, Chile, Bolívia e Uruguai
Por aí… na estrada!

Hoje, com 48 anos, eu já rodei cerca de 80.000 quilômetros pela América Latina e mais 400.000 quilômetros pelo Brasil. Tenho dezenas de histórias legais acumuladas, milhares de fotos fantásticas e um sonho: escrever um livro. E eu sei que não sou o único nessa condição, buscando como começar a escrever um livro.

Escrever um livro: como começar?

Mesmo escrevendo relativamente bem – sou jornalista, tenho dois websites, já escrevi dezenas de artigos, já atuei como colaborador da Revista MotoAdventure por quase 5 anos, etc. – sempre me via perdido na hora de começar. Surgiam dúvidas sobre como definir o que é legal e o que não é, como contar as histórias que tenho para contar de forma interessante para quem vai ler, o que eu falo sobre os meus parceiros de viagem e mais um monte de dúvidas que surgem na hora de colocar a não na massa, de fato.

Aí encontrei ajuda num e-book, com preço justo, feito exatamente para quem está na mesma condição: tem muita história para contar, mas não sabe como organizar essas histórias de forma coerente num livro digno de retratá-las. E queria muito compartilhar com vocês essa descoberta.

É o “O Fabuloso Planejador de Livros para Autores de Ficção”. Antes de mais nada quero fazer uma observação importante: o mesmo autor tem um outro produto chamado “O Fantástico Planejador De Livros Para Autores De Não Ficção”, porém, tive acesso aos dois e confesso que achei este último mais voltado para livros educacionais, técnicos ou profissionais. Sem “espaço” para a liberdade criativa que o primeiro livro traz. Por isso, mesmo o nome fazendo referência a “autores de ficção”, acho o conteúdo dele mais adequado para o tipo de narrativa que fazemos quando o assunto é uma – ou mais – viagem de moto. Minha opinião!

Eu poderia descrever o produto em detalhes mas acho que a página de venda do próprio produto já faz este trabalho com maestria, então vou deixar o(s) link(s) do(s) e-book(s) abaixo.

Acessem e avaliem se acham que vale o investimento de R$ 35 (este ainda era o preço promocional, em 30.07.2020, porém pode sofrer alteração por parte do vendedor).

Minha experiência com ele foi: me tirou da estagnação e já escrevi alguns capítulos em poucos dias. Espero que ajude quem se interessar!

O Fabuloso Planejador de Livros para Autores de Ficção

AH! E se depois que seu livro estiver escrito, você precisar de ajuda com a criação da capa, diagramação, revisão, etc. pode falar comigo que tenho bons profissionais nessa área também… rsrsrs

O post Escrever um livro: como consegui começar! apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Beeline Moto: navegação simplificada para motos http://tonaestrada.com.br/beeline-moto-navegacao-simplificada-para-motos/ Tue, 28 Jul 2020 21:55:05 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3523 A Beeline Moto aproveita o poder do seu smartphone para oferecer uma navegação simples, fácil de entender e intuitiva, no seu campo de visão, exatamente o que você precisa.

O post Beeline Moto: navegação simplificada para motos apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Beeline Moto: muitas vezes a navegação durante a pilotagem de uma moto pode ser complicada, e há muitas maneiras de chegar onde você quer: um GPS, um mapa impresso, instruções escritas coladas no tanque ou guardadas no bolso da jaqueta sempre são de grande valia, mas você pode se colocar em apuros se errar o caminho apenas uma vez.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

Os mapas podem ser muito úteis na hora de elaborar seu roteiro, mas encostar na beira da estrada para ler detalhes, com vento e depois voltar a dobrar é, por si só, uma grande aventura e já é algo ultrapassado e trabalhoso demais. Os smartphones e as unidades de GPS oferecem instruções passo a passo e um mapa em movimento, mas podem ser caros, podem não lidar bem com os elementos (chuva, sol, poeira) e podem ser alvo de ladrões se você deixar um deles montado o tempo todo na moto.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

O Beeline Moto é uma nova visão da navegação por GPS – uma bússola robusta que aponta para onde você precisa estar e sem gastar muito.

Fisicamente, o Beeline Moto é bastante diminuto e pode ser facilmente montado em praticamente qualquer guidão. Foi dispensada atenção especial aos detalhes durante a montagem: todas as juntas são bem assentadas, as tolerâncias de montagem são ajustadas e com segurança, e os botões são grandes e sensíveis ao toque suficiente para ter uma sensação tátil através das luvas. Sua classificação IP67 qualifica o Beeline Moto como impermeável e à prova de poeira, e a tela LCD retro iluminada é perfeitamente legível em todas as condições climáticas e de luz.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

Na embalagem padrão estão um suporte de fita elástica, um suporte adesivo e um cabo de carga USB. A Beeline tem outras montagens disponíveis, incluindo uma opção de “bola” compatível com a base da marca RAM Mount. A duração da bateria do dispositivo é estimada entre 10 e 30 horas em uso e 4 a 6 meses em modo de espera. Ambos os números parecem precisos, segundo relatos, no entanto, não é possível usar o dispositivo durante o carregamento.

Em termos de tecnologia, é melhor considerar o Beeline Moto como uma tela secundária para o seu smartphone, em vez de um dispositivo de navegação independente. A Beeline usa o GPS e as torres de celular do seu telefone para localização e dados. Assim, um aplicativo é usado para informar ao Beeline onde você quer ir e como deseja chegar lá. O aplicativo é relativamente simples, mas permite rotas personalizadas com pontos de passagem, importação de arquivos GPX e rastreamento de rotas. A tela do Beeline é dominada por uma seta grande para fornecer dicas passo a passo no Modo de rota ou apontar na direção do seu destino no Modo Beeline. Nos dois modos, a tela é relativamente intuitiva.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

O Modo Beeline funciona muito bem e é a minha configuração preferida. Enquanto estiver no modo Beeline, você pode virar para qualquer estrada que desejar, sempre que quiser e voltar na direção geral para onde está indo, conforme achar indicado pela seta na tela. A distância exibida é como a abelha voa, mas ainda pode fornecer uma aproximação da distância ao seu destino. Esse modo é ótimo para explorar áreas desconhecidas, mas nunca se perder demais.

Infelizmente, o Modo de Rota não tem se mostrado tão confiável. Nesse modo, o gadget exibe algumas informações adicionais: uma barra na parte superior para o progresso ao longo da rota, um ponto indicando a direção da sua próxima curva e a distância até a próxima curva ou waypoint. Um ícone adicional aparece no meio para guiá-lo através de rotatórias, bifurcações ou saídas, mas ainda pode falhar em cruzamentos particularmente difíceis ou trocas de rodovias.

A seta grande gira na direção que você precisa virar, mas não até o momento exato em que você precisa fazer a curva. E perdi mais de uma vez as curvas porque estava prestando mais atenção na estrada do que na distância de virar. Para ser justo, o indicador de mudança de direção está perfeitamente alinhado para as velocidades de uma bicicleta, mas não é adaptável às velocidades mais altas da motocicleta. Um aviso de áudio pode resolver completamente esse problema, já que o uso de comunicadores de capacete Bluetooth e fones de ouvido é muito comum nos dias atuais.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

Por fim, se você perder acesso a dados ou a recepção do GPS por um longo período de tempo (porque você está em locais distantes ou seu telefone está armazenado em segurança na jaqueta –  e fora do alcance das torres de celular), o aplicativo da Beeline redireciona para estradas aparentemente aleatórias ou em círculos.

Eu já enfrentei todos esses problemas várias vezes e, desde então, voltei a usar meu telefone em um suporte da RAM quando tenho um lugar para estar com horário marcado.

No geral, o Beeline Moto é bem construído, possui alguns recursos novos e um ótimo conceito, mas passa uma sensação de “adoção precoce” (early-adopter) e falta confiabilidade.

As atualizações do aplicativo podem trazer os avisos de áudio ou armazenamento de mapas off-line para atenuar os principais problemas com o Modo de Rota. No entanto, seria sensato considerar a Beeline uma interação futura com um GPS incorporado, dando a ele autonomia de outros dispositivos.

No meu uso até agora, o Beeline funciona pelo menos 60% do tempo e se melhor do que adivinhar é bom o suficiente para você, vá em frente.

O preço sugerido (no exterior) é US$ 179 (plástico) e US$ 249 (metal)

PROS:

  • O modo Beeline é divertido para explorar
  • Design compacto, formato simples
  • Mais barato que um smartphone ou unidade GPS dedicada

CONTRAS:

  • Smartphone ainda necessário
  • Sugestões de curva lenta e roteamento não confiável em áreas de sinal ruins
  • Somente visual – sem dicas de áudio

O post Beeline Moto: navegação simplificada para motos apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
“Nascimento” da Ducati Panigale V4 Superleggera http://tonaestrada.com.br/nascimento-da-ducati-panigale-v4-superleggera/ Thu, 18 Jun 2020 17:57:54 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3480 A primeira Ducati Panigale Superleggera V4 saiu da linha de produção Borgo Panigale. Esta é a número 001 das 500 unidades agendadas para esta série limitada e numerada. Finalmente está disponível a única motocicleta do mundo aprovada para uso na estrada com chassi, braço oscilante e rodas de fibra de carbono. Uma obra-prima de engenharia […]

O post “Nascimento” da Ducati Panigale V4 Superleggera apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A primeira Ducati Panigale Superleggera V4 saiu da linha de produção Borgo Panigale. Esta é a número 001 das 500 unidades agendadas para esta série limitada e numerada. Finalmente está disponível a única motocicleta do mundo aprovada para uso na estrada com chassi, braço oscilante e rodas de fibra de carbono. Uma obra-prima de engenharia mecânica, técnica e design “made in Italy”, que estabelece uma nova referência em termos de desempenho, estilo e atenção aos detalhes.

Ducati Panigale Superleggera V4
Foto: Ducati.com

A exclusividade dos materiais e soluções técnicas adotadas na Ducati Panigale Superleggera V4 também se reflete no número máximo de motocicletas previsto: 500 unidades numeradas acompanhadas de um certificado de autenticidade. A numeração progressiva das motocicletas (XXX / 500), coincidindo com o número do chassi, é mostrada na mesa de direção e na chave de ignição.

Ducati Panigale Superleggera V4
Foto: Ducati.com

O primeiro dos sortudos proprietários desta fantástica moto foi convidado a Borgo Panigale para uma cerimônia de entrega e, nos próximos dias, conhecerá pessoalmente Claudio Domenicali, CEO da Ducati, para receber sua Superleggera V4 001/500.

A singularidade do projeto da Ducati Panigale Superleggera V4 é sublinhada pelas experiências que a Ducati e a Ducati Corse reservaram exclusivamente para os proprietários de motocicletas: a “Experiência Superbike” – a possibilidade de todos os fãs que compram uma Superleggera V4 poderem experimentar a Panigale V4 R que participa do Campeonato Mundial de SBK, na pista em Mugello. Ainda mais incrível e exclusiva é a oportunidade – limitada a 30 proprietários da Superleggera V4 – de adquirir acesso à “Experiência MotoGP”, realizando assim o sonho de todo entusiasta de motos esportivas. Pela primeira vez, será possível pilotar a Desmosedici no circuito, acompanhado de perto pelos técnicos da Ducati Corse. Ambas as “experiências” foram confirmadas para 2021.

Um dos “mimos” que completa a experiência de compra da Ducati Panigale Superleggera V4 também inclui a possibilidade de personalizar os couros da moto com air bags da linha “SuMisura Ducati”, além de completar o visual com um capacete de carbono, ambos dedicados a esta moto, cujas cores e gráficos eles replicam.

Cada motocicleta Ducati Panigale V4 está equipada com um kit de corrida : escape completo para o uso da pista de corrida Akrapovič em titânio; tampa da embreagem aberta em fibra de carbono; tampa do braço oscilante em fibra de carbono com “slider” de titânio; kit de substituição de faróis e luzes; kit de remoção do suporte da placa; kit de remoção do suporte lateral; tampas de alumínio de substituição de espelho da carenagem frontal; analisador de dados Ducati + GPS (DDA + GPS); tampa de combustível de corrida, proteção da alavanca do freio, cobertura da motocicleta; suporte frontal e traseiro e carregador de bateria.

A moto é entregue dentro de uma caixa de madeira com personalização especialmente feita para o transporte desta obra-prima “made in Borgo Panigale”.

Finalmente, todos os clientes recebem uma reprodução em miniatura da Ducati Panigale Superleggera V4 em escala 1:10, modelada em formas aerodinâmicas futuristas. Um item de colecionador de verdade, personalizado com o seu número de moto.

Assista ao “parto” da unidade 01 das 500 que serão produzidas

Veja algumas fotos dessa máquina exclusiva

O post “Nascimento” da Ducati Panigale V4 Superleggera apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Yamaha Ténéré 700 Rally Edition http://tonaestrada.com.br/yamaha-tenere-700-rally-edition/ Wed, 17 Jun 2020 22:22:28 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3511 Inspirada nos pilotos lendários e nas icônicas máquinas da Yamaha que fizeram do Rally Paris Dakar a maior corrida do mundo, a Ténéré 700 Rally Edition presta homenagem aos heróis que conquistaram o deserto. Seu acabamento possui um esquema de cores azul e amarelo como as clássicas motos da Yamaha. Esta adventure bike de alta […]

O post Yamaha Ténéré 700 Rally Edition apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Inspirada nos pilotos lendários e nas icônicas máquinas da Yamaha que fizeram do Rally Paris Dakar a maior corrida do mundo, a Ténéré 700 Rally Edition presta homenagem aos heróis que conquistaram o deserto.

Seu acabamento possui um esquema de cores azul e amarelo como as clássicas motos da Yamaha. Esta adventure bike de alta cilindrada pode mudar sua vida.

Assista o vídeo

Veja algumas imagens da Yamaha Ténéré 700 Rally Edition

O post Yamaha Ténéré 700 Rally Edition apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Ducati Hypermotard 950 RVE : arte e design http://tonaestrada.com.br/ducati-hypermotard-950-rve-arte-e-design/ Tue, 16 Jun 2020 21:47:21 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3459 A Ducati traz sua nova Hypermotard com o modelo 950 RVE que chega entre o modelo standard Hypermotard 950 e a top de linha Hypermotard 950 SP, completando a família Borgo Panigale de motos ‘divertidas’. A Hypermotard 950 RVE se destaca especialmente na parte estética e se caracteriza por sua decoração chamada “Graffiti”, inspirada na […]

O post Ducati Hypermotard 950 RVE : arte e design apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A Ducati traz sua nova Hypermotard com o modelo 950 RVE que chega entre o modelo standard Hypermotard 950 e a top de linha Hypermotard 950 SP, completando a família Borgo Panigale de motos ‘divertidas’.

A Hypermotard 950 RVE se destaca especialmente na parte estética e se caracteriza por sua decoração chamada “Graffiti”, inspirada na arte urbana. Os gráficos são baseados nos da Hypermotard 950 Concept, apresentado na prestigiada Concorso d’Eleganza Villa d’Este. Após o sucesso alcançado em 2019, especialmente nas redes sociais, a marca italiana decidiu colocá-lo em uma versão padrão.

Para alcançar a mesma qualidade de fabricação do ‘conceito’ no modelo RVE, um processo sofisticado de pintura e aplicação manual dos gráficos foram necessários, garantindo um resultado comparável ao de uma pintura feita com aerógrafo. Nas fases de pintura, foi empregada mão de obra altamente qualificada, usando decalques muito finos e adotando um processo particularmente longo e complexo. O resultado é comparável ao de uma pintura corporal com aerógrafo.

Esta Ducati não se limita apenas à estética e as alterações não se limitam aos gráficos. Além disso, também há uma melhora no equipamento, porque esta versão Hypermotard 950 RVE aumenta seu pacote eletrônico com o EVO Up e Down Ducati Quick Shift (DQS), que é adicionado aos componentes já presentes na versão em série: ABS Bosch Cornering with Slide by function Freio (na configuração 1), Ducati Traction Control Evo (DTC EVO) e Ducati Wheelie Control (DWC) EVO. Os mesmos componentes eletrônicos do modelo top de linha entre as Hypermotards, o 950 SP, que as difere são os gráficos esportivos, as suspensões Öhlins com curso mais longo e as rodas Marchesini forjadas.

Como todas as Hypermotards, a 950 RVE é alimentada pelo motor de 937 cc Testastretta 11° de dois cilindros, que fornece 114 hp a 9.000 rpm e 9,8 kgm de torque – dos quais mais de 80% está disponível na 3.000 rpm. É um motor perfeito para oferecer o máximo de diversão tanto na condução esportiva em um circuito quanto em estradas sinuosas e no uso diário em áreas urbanas.

A Hypermotard 950 é uma moto divertida por excelência, projetada para garantir um alto nível de diversão e controle na pilotagem. Inspirada em sua aparência motard, o design agressivo da moto gira em torno do par de escapamentos sob o assento e superestruturas menores que revelam os componentes mecânicos, incluindo o quadro multitubular traseiro que transmite leveza e essencialidade. A ergonomia garante ao piloto máxima capacidade de resposta em todas as situações. O assento é plano, particularmente fino para garantir amplitude de movimento e permitir que você alcance o chão com facilidade.

O post Ducati Hypermotard 950 RVE : arte e design apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Pueblo Escondido: a cidade fantasma do Vale Calamuchita http://tonaestrada.com.br/pueblo-escondido-a-cidade-fantasma-do-vale-calamuchita/ Tue, 16 Jun 2020 20:08:48 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3452 A cidade fantasma de Pueblo Escondido está localizada no Cerro Áspero, nas montanhas do Pampean (entre as províncias de Córdoba e San Luis, Argentina) a sudoeste do vale de Calamuchita e na margem direita do córrego El Tigre, a 2.000 metros acima do nível do mar. É uma mina abandonada da qual o tungstênio foi […]

O post Pueblo Escondido: a cidade fantasma do Vale Calamuchita apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A cidade fantasma de Pueblo Escondido está localizada no Cerro Áspero, nas montanhas do Pampean (entre as províncias de Córdoba e San Luis, Argentina) a sudoeste do vale de Calamuchita e na margem direita do córrego El Tigre, a 2.000 metros acima do nível do mar. É uma mina abandonada da qual o tungstênio foi extraído durante cerca de 75 anos, que já abrigou mais de 800 trabalhadores e hoje encontra-se em ruínas.

Pueblo Escondido
La Cascada Del Tigre – foto:Cesar Valiente

Para chegar até lá você pode sair cedo da Villa General Belgrano e rodar cerca de 90 km, compostos principalmente de estradas sem calçamento com paisagens muito bonitas, até chegar ao Puesto Del Tono. De lá, percorre-se a pé uma trilha até chegar ao antigo acampamento onde se esconde esta antiga cidade mineira.

Foto: http://www.voydeviaje.com.ar/

Este antigo assentamento de mineração também é acessível a partir da cidade de Merlo (San Luis), localizado a 25 km a noroeste. Por uma estrada que tem 20 km de asfalto e o restante sem calçamento. Outra opção é a partir da cidade de La Cruz, cerca de 60 km a sudoeste.

O mineral explorado naquela mina foi o tungstênio na forma de óxidos e sais, destinados principalmente à exportação, especialmente durante a Segunda Guerra Mundial, para uso como material bélico. O veio principal foi trabalhado por uma rota de 180m e a uma profundidade de 35m. Em seu tempo de esplendor, havia centenas de trabalhadores em Pueblo Escondido, instalações de moagem, concentração e separação de minerais por meios mecânicos, usina própria, hospital, alojamento para mineiros e chefes, telefone, etc. Havia também um teleférico de 300 metros de comprimento para baixar o mineral para a usina e uma bomba de combustível, entre outras instalações. Porém, não havia geólogo apenas mineiros especialistas, muitos trazidos do Chile e Bolívia.

Pueblo Escondido
Vista aérea do Cerro Áspero e Pueblo Escondido (abaixo) – Foto: http://www.cordobaoutdoor.com.ar/

É, sem dúvida, uma mina abandonada muito impressionante, tanto pelo local onde está localizada quanto pelo tamanho de suas ruínas.

“A mina Cerro Áspero operou do final do século 19 até 1969. Fechou quando o preço internacional do tungstênio caiu, enquanto ao mesmo tempo o mineral da mais alta qualidade estava acabando. Mas a sentença de morte da mina foi dada pela entrada, no mercado mundial de tungstênio, da República Popular da China, na década de 1980. Atualmente, 85% do tungstênio usado pela indústria mundial vem da China, uns 5% da Rússia, 3% do Canadá e os 7% restantes de alguns países. A maior concentração de minas de tungstênio no mundo está no sudeste da China “

Jorge Sfragulla, geólogo da Faculdade de Ciências Exatas, Físicas e Naturais da Universidade Nacional de Córdoba.
Pueblo Escondido
Foto antiga de Pueblo Escondido. Foto : https://www.geocaching.com/

Hoje, as instalações abandonadas servem como refúgio de montanha para os amantes da natureza que querem explorar este lugar maravilhoso e sua história imponente.

Assista um pequeno vídeo sobre Pueblo Escondido:

O post Pueblo Escondido: a cidade fantasma do Vale Calamuchita apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Honda CB4 X, a nova crossover de 4 cilindros da Honda? http://tonaestrada.com.br/honda-cb4-x-a-nova-crossover-de-4-cilindros-da-honda/ Sat, 06 Jun 2020 18:10:36 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3424 No estande da Honda, os visitantes puderam admirar a nova CB4 X Concept, que representa o protótipo de uma motocicleta que poderá - um dia - ficar entre os segmentos de turismo esportivo e crossovers de médio porte.

O post Honda CB4 X, a nova crossover de 4 cilindros da Honda? apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Juntamente com a nova Honda Fireblade CBR 1000RR-R, a outra grande protagonista do estande da Honda em Milão foi uma surpresa desenvolvida pelo estúdio de design da empresa em Roma – a Honda CB4 X.

Honda CB4 X
Foto: Motociclismo.es

A verdade é que o estande da Honda do ano de 2019 teve dois protagonistas proeminentes: Honda Fireblade CBR 1000RR-R – top de linha – e sua versão “standard”, que pudemos ver dias antes de filmá-la em Suzuka. Mas, além das motocicletas mais esportivas ou de uma unidade da Honda RC213V de Marc Márquez, a máquina que recebeu mais visitas e atenção foi um protótipo que se destacou por sua imagem inovadora, especialmente para o setor a que se destinava.

Esta Honda CB4 X foi descrita por seus criadores, a equipe de design da Honda em Roma, como um “crossover” para encontrar “diversão sete dias por semana”.

Honda CB4 X
Foto: Motociclismo.es

Em outras palavras, uma mistura de dois segmentos. Mas, ao contrário do Honda Crosstourer que vimos anos atrás, com o motor de 1.200cc que tentava mesclar o uso off-road com asfalto, como, por exemplo, a Ducati Multistrada, essa nova “crossover” visa combinar turismo e esportividade.

Honda CB4 X
Foto: Motociclismo.es

A verdade é que, quando se trata de introduzir novos conceitos e designs ao público, as marcas não economizam nos componentes ou peças top de linha que são simplesmente mais atraentes. Portanto, é difícil julgar como seria uma série CB4 X de produção comercial observando seu protótipo. Mas, de qualquer forma, não parece que os freios Brembo, o espetacular sistema de escapamento da SC-Project (parceiro da Honda no MotoGP), os garfos e o amortecedor Öhlins cheguem a uma Honda de cilindrada média, movida pelo motor de quatro cilindros de 650cc. Em princípio, o mesmo motor que está equipado no Honda CB650R da família Neo Sports Café, com 95 cv de potência e 6,4 kgf.m de torque

Honda CB4 X
Foto: Motociclismo.es

Apesar de uma posição de pilotagem relativamente confortável, graças a um guidão amplo e alto, o conjunto inspira um comportamento esportivo devido à traseira alta e à frente “em ataque” com um topo pontiagudo.

Atrás, alinhado com a saída de escape dupla, encontramos um braço oscilante do tipo monobraço, que mostra toda a beleza da roda traseira de dez raios.

Será que iremos vê-la no mercado? E, em caso positivo, ela manterá sua aparência radical?

Algumas fotos da Honda CB4 X

O post Honda CB4 X, a nova crossover de 4 cilindros da Honda? apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>