Há alguns anos uma mudança no trânsito ocorreu em um trecho da cidade argentina de Corrientes e vem impactando quase todos motociclistas que passam por ali em viagem. E os expondo a situações desagradáveis também.

Esse trecho é um corredor usual de passagem para quem vai para o Deserto de Atacama, sul da Bolívia e outros pontos de interesse no norte da Argentina. Ou ainda, para quem cruza o rio Paraná naquele trecho e, em seguida, segue rumo ao sul descendo até as cidades de Santa Fé e Rosário, para seguir para a Patagônia ou ainda para a região de Córdoba, Mendoza ou para o Chile, etc. A imagem abaixo ilustra muito bem a importância desse ponto para nós motociclistas viajantes.

corrientes-resistencia-1

A alteração mencionada acima foi a proibição do tráfego de motocicletas pela pista principal da Avenida Pedro Ferre, que dá acesso direto à ponte que cruza o rio Paraná, e faz a ligação de Corrientes com a cidade de Resistencia. Esta alteração ocorreu em meados de 2011/2012, não sabemos precisar a data exata, mas foi a partir daí que começaram a surgir os relatos de extorsão realizada pela polícia argentina naquele trecho e especificamente com ênfase nesse problema.

Essa alteração visou, ao que nos parece, afastar do tráfego pesado e mais veloz, as motos de pequena cilindrada – abundantes na Argentina como um todo, e os motociclistas locais que pilotam quase sempre sem capacete ou qualquer equipamento de proteção. Uma atitude muito válida por parte do governo, diga-se de passagem, e que deve trazer resultados positivos para a segurança do trânsito local. O grande problema é que a proibição do tráfego de motos pela pista expressa (central) está bem sinalizada, porém não existem placas de sinalização informando aos motociclistas de outras regiões (e países) COMO PROCEDER PARA ACESSAR A PONTE GENERAL BELGRANO, da forma correta. O motociclista está seguindo pela via local e, de repente, vê o que parece ser a última entrada de acesso a ponte, por falta de conhecimento e DE UMA SINALIZAÇÃO COERENTE simplesmente entra na pista expressa a fim de pegar a ponte. Nesse momento, saindo da cabine de fiscalização que fica aos pés da ponte, surgem os policiais argentinos que ordenam que encostem suas motocicletas.

Desse ponto em diante, se seguem relatos de todas as formas de extorsão possíveis. Desde simples e diretos pedidos de propina, até a retenção dos documentos dos motociclistas por um longo período de tempo para só então ameaçar de lavrar uma multa, reter a motocicleta por dois dias, etc.etc.etc. e que no final acaba com o pagamento da propina também. Vejam bem, não estamos questionando o fato de uma infração ter sido cometida, estamos questionando duas coisas: a falta de QUALQUER TIPO DE SINALIZAÇÃO INFORMATIVA e a POSTURA DOS POLICIAIS VISANDO BUSCAR BENEFÍCIOS PARA ELES MESMOS. Se uma infração foi cometida e ela é resultado de uma atitude irresponsável por parte de qualquer motorista, ou ainda, foi realizada em um descumprimento ostensivo e proposital da lei, deve sim ser penalizada. Só que da forma correta e como manda a lei. Mas nesse caso a falta de informação é a principal responsável pela ocorrência dessa infração e a polícia poderia buscar uma postura EDUCATIVA.

Enfim… não estamos escrevendo esse post para criticar a postura da polícia argentina e sim para orientar outros motociclistas a maneira correta de acessar a ponte que cruza o rio Paraná, dando acesso à cidade de Resistência. E é o que faremos à partir de agora.

Normalmente chegamos à Corrientes vindos pela Ruta 12, desde Puerto Iguazu (e depois Posadas). Ao alcançar a primeira rotatória, já dentro da cidade, pegue a primeira saída à direita, seguindo pela Av. Independência (que depois mudará de nome para Pedro Ferre). Assim que possível, saia da pista central e passe a rodar pela pista lateral. Você seguirá em frente por cerca de 7,5 km, em direção a Avenida Costanera, que margeia o Rio Paraná. Logo irá avistar a ponte e o impulso será de voltar para a pista central para não perder o acesso. Resista. Continue seguindo pela pista local e, pouco depois você irá visualizar a oportunidade de fazer um retorno de 180 graus à sua esquerda, o faça e então retorne em direção à ponte para pegar um pequeno acesso lateral. Pronto, feito!

Se quiser marcar no GPS a coordenada do ponto exato do retorno é: -27° 28.410′, -58° 51.275′

Apenas instruções escritas podem ser difíceis de ser compreendidas, portanto fizemos uma imagem para auxiliá-los neste trecho.

corrientes-resistencia-3

Comentários

Comentários