Redação – TNE – Tô Na Estrada http://tonaestrada.com.br Paixão por Motociclismo, Aventura & Lifestyle Wed, 05 Aug 2020 14:44:39 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.4.2 http://tonaestrada.com.br/wp-content/uploads/2019/03/cropped-logotipo-to-na-estrada-114x114-1-32x32.png Redação – TNE – Tô Na Estrada http://tonaestrada.com.br 32 32 Escrever um livro: como consegui começar! http://tonaestrada.com.br/escrever-um-livro-como-consegui-comecar/ Tue, 04 Aug 2020 21:56:50 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3531 Comecei a pilotar motocicleta com 16 anos de idade. Aos 18, comprei minha primeira moto e, desde então, nunca mais parei de rodar. Motocicleta sempre foi sinônimo de liberdade para mim. E, por sempre ter sido extremamente interessado em expandir meus conhecimentos sobre lugares, pessoas, costumes, culturas, etc. e viver num “mundo sem Google” e […]

O post Escrever um livro: como consegui começar! apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Comecei a pilotar motocicleta com 16 anos de idade. Aos 18, comprei minha primeira moto e, desde então, nunca mais parei de rodar.

Motocicleta sempre foi sinônimo de liberdade para mim. E, por sempre ter sido extremamente interessado em expandir meus conhecimentos sobre lugares, pessoas, costumes, culturas, etc. e viver num “mundo sem Google” e outras alternativas tecnológicas, o único jeito era conhecer as coisas in loco (que por sinal é o melhor jeito, de qualquer maneira e em qualquer tempo). E neste quesito, a motocicleta me deu uma liberdade que eu nunca havia experimentado. Em poucas horas eu estava há centenas de quilômetros de onde morava, explorando, conhecendo e vivendo coisas novas, construindo novas histórias.

Fotos de moto por Peru, Argentina, Chile, Bolívia e Uruguai
Por aí… na estrada!

Hoje, com 48 anos, eu já rodei cerca de 80.000 quilômetros pela América Latina e mais 400.000 quilômetros pelo Brasil. Tenho dezenas de histórias legais acumuladas, milhares de fotos fantásticas e um sonho: escrever um livro. E eu sei que não sou o único nessa condição, buscando como começar a escrever um livro.

Escrever um livro: como começar?

Mesmo escrevendo relativamente bem – sou jornalista, tenho dois websites, já escrevi dezenas de artigos, já atuei como colaborador da Revista MotoAdventure por quase 5 anos, etc. – sempre me via perdido na hora de começar. Surgiam dúvidas sobre como definir o que é legal e o que não é, como contar as histórias que tenho para contar de forma interessante para quem vai ler, o que eu falo sobre os meus parceiros de viagem e mais um monte de dúvidas que surgem na hora de colocar a não na massa, de fato.

Aí encontrei ajuda num e-book, com preço justo, feito exatamente para quem está na mesma condição: tem muita história para contar, mas não sabe como organizar essas histórias de forma coerente num livro digno de retratá-las. E queria muito compartilhar com vocês essa descoberta.

É o “O Fabuloso Planejador de Livros para Autores de Ficção”. Antes de mais nada quero fazer uma observação importante: o mesmo autor tem um outro produto chamado “O Fantástico Planejador De Livros Para Autores De Não Ficção”, porém, tive acesso aos dois e confesso que achei este último mais voltado para livros educacionais, técnicos ou profissionais. Sem “espaço” para a liberdade criativa que o primeiro livro traz. Por isso, mesmo o nome fazendo referência a “autores de ficção”, acho o conteúdo dele mais adequado para o tipo de narrativa que fazemos quando o assunto é uma – ou mais – viagem de moto. Minha opinião!

Eu poderia descrever o produto em detalhes mas acho que a página de venda do próprio produto já faz este trabalho com maestria, então vou deixar o(s) link(s) do(s) e-book(s) abaixo.

Acessem e avaliem se acham que vale o investimento de R$ 35 (este ainda era o preço promocional, em 30.07.2020, porém pode sofrer alteração por parte do vendedor).

Minha experiência com ele foi: me tirou da estagnação e já escrevi alguns capítulos em poucos dias. Espero que ajude quem se interessar!

O Fabuloso Planejador de Livros para Autores de Ficção

AH! E se depois que seu livro estiver escrito, você precisar de ajuda com a criação da capa, diagramação, revisão, etc. pode falar comigo que tenho bons profissionais nessa área também… rsrsrs

O post Escrever um livro: como consegui começar! apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Beeline Moto: navegação simplificada para motos http://tonaestrada.com.br/beeline-moto-navegacao-simplificada-para-motos/ Tue, 28 Jul 2020 21:55:05 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3523 A Beeline Moto aproveita o poder do seu smartphone para oferecer uma navegação simples, fácil de entender e intuitiva, no seu campo de visão, exatamente o que você precisa.

O post Beeline Moto: navegação simplificada para motos apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Beeline Moto: muitas vezes a navegação durante a pilotagem de uma moto pode ser complicada, e há muitas maneiras de chegar onde você quer: um GPS, um mapa impresso, instruções escritas coladas no tanque ou guardadas no bolso da jaqueta sempre são de grande valia, mas você pode se colocar em apuros se errar o caminho apenas uma vez.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

Os mapas podem ser muito úteis na hora de elaborar seu roteiro, mas encostar na beira da estrada para ler detalhes, com vento e depois voltar a dobrar é, por si só, uma grande aventura e já é algo ultrapassado e trabalhoso demais. Os smartphones e as unidades de GPS oferecem instruções passo a passo e um mapa em movimento, mas podem ser caros, podem não lidar bem com os elementos (chuva, sol, poeira) e podem ser alvo de ladrões se você deixar um deles montado o tempo todo na moto.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

O Beeline Moto é uma nova visão da navegação por GPS – uma bússola robusta que aponta para onde você precisa estar e sem gastar muito.

Fisicamente, o Beeline Moto é bastante diminuto e pode ser facilmente montado em praticamente qualquer guidão. Foi dispensada atenção especial aos detalhes durante a montagem: todas as juntas são bem assentadas, as tolerâncias de montagem são ajustadas e com segurança, e os botões são grandes e sensíveis ao toque suficiente para ter uma sensação tátil através das luvas. Sua classificação IP67 qualifica o Beeline Moto como impermeável e à prova de poeira, e a tela LCD retro iluminada é perfeitamente legível em todas as condições climáticas e de luz.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

Na embalagem padrão estão um suporte de fita elástica, um suporte adesivo e um cabo de carga USB. A Beeline tem outras montagens disponíveis, incluindo uma opção de “bola” compatível com a base da marca RAM Mount. A duração da bateria do dispositivo é estimada entre 10 e 30 horas em uso e 4 a 6 meses em modo de espera. Ambos os números parecem precisos, segundo relatos, no entanto, não é possível usar o dispositivo durante o carregamento.

Em termos de tecnologia, é melhor considerar o Beeline Moto como uma tela secundária para o seu smartphone, em vez de um dispositivo de navegação independente. A Beeline usa o GPS e as torres de celular do seu telefone para localização e dados. Assim, um aplicativo é usado para informar ao Beeline onde você quer ir e como deseja chegar lá. O aplicativo é relativamente simples, mas permite rotas personalizadas com pontos de passagem, importação de arquivos GPX e rastreamento de rotas. A tela do Beeline é dominada por uma seta grande para fornecer dicas passo a passo no Modo de rota ou apontar na direção do seu destino no Modo Beeline. Nos dois modos, a tela é relativamente intuitiva.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

O Modo Beeline funciona muito bem e é a minha configuração preferida. Enquanto estiver no modo Beeline, você pode virar para qualquer estrada que desejar, sempre que quiser e voltar na direção geral para onde está indo, conforme achar indicado pela seta na tela. A distância exibida é como a abelha voa, mas ainda pode fornecer uma aproximação da distância ao seu destino. Esse modo é ótimo para explorar áreas desconhecidas, mas nunca se perder demais.

Infelizmente, o Modo de Rota não tem se mostrado tão confiável. Nesse modo, o gadget exibe algumas informações adicionais: uma barra na parte superior para o progresso ao longo da rota, um ponto indicando a direção da sua próxima curva e a distância até a próxima curva ou waypoint. Um ícone adicional aparece no meio para guiá-lo através de rotatórias, bifurcações ou saídas, mas ainda pode falhar em cruzamentos particularmente difíceis ou trocas de rodovias.

A seta grande gira na direção que você precisa virar, mas não até o momento exato em que você precisa fazer a curva. E perdi mais de uma vez as curvas porque estava prestando mais atenção na estrada do que na distância de virar. Para ser justo, o indicador de mudança de direção está perfeitamente alinhado para as velocidades de uma bicicleta, mas não é adaptável às velocidades mais altas da motocicleta. Um aviso de áudio pode resolver completamente esse problema, já que o uso de comunicadores de capacete Bluetooth e fones de ouvido é muito comum nos dias atuais.

Beeline Moto: navegação simplificada para motos

Por fim, se você perder acesso a dados ou a recepção do GPS por um longo período de tempo (porque você está em locais distantes ou seu telefone está armazenado em segurança na jaqueta –  e fora do alcance das torres de celular), o aplicativo da Beeline redireciona para estradas aparentemente aleatórias ou em círculos.

Eu já enfrentei todos esses problemas várias vezes e, desde então, voltei a usar meu telefone em um suporte da RAM quando tenho um lugar para estar com horário marcado.

No geral, o Beeline Moto é bem construído, possui alguns recursos novos e um ótimo conceito, mas passa uma sensação de “adoção precoce” (early-adopter) e falta confiabilidade.

As atualizações do aplicativo podem trazer os avisos de áudio ou armazenamento de mapas off-line para atenuar os principais problemas com o Modo de Rota. No entanto, seria sensato considerar a Beeline uma interação futura com um GPS incorporado, dando a ele autonomia de outros dispositivos.

No meu uso até agora, o Beeline funciona pelo menos 60% do tempo e se melhor do que adivinhar é bom o suficiente para você, vá em frente.

O preço sugerido (no exterior) é US$ 179 (plástico) e US$ 249 (metal)

PROS:

  • O modo Beeline é divertido para explorar
  • Design compacto, formato simples
  • Mais barato que um smartphone ou unidade GPS dedicada

CONTRAS:

  • Smartphone ainda necessário
  • Sugestões de curva lenta e roteamento não confiável em áreas de sinal ruins
  • Somente visual – sem dicas de áudio

O post Beeline Moto: navegação simplificada para motos apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
“Nascimento” da Ducati Panigale V4 Superleggera http://tonaestrada.com.br/nascimento-da-ducati-panigale-v4-superleggera/ Thu, 18 Jun 2020 17:57:54 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3480 A primeira Ducati Panigale Superleggera V4 saiu da linha de produção Borgo Panigale. Esta é a número 001 das 500 unidades agendadas para esta série limitada e numerada. Finalmente está disponível a única motocicleta do mundo aprovada para uso na estrada com chassi, braço oscilante e rodas de fibra de carbono. Uma obra-prima de engenharia […]

O post “Nascimento” da Ducati Panigale V4 Superleggera apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A primeira Ducati Panigale Superleggera V4 saiu da linha de produção Borgo Panigale. Esta é a número 001 das 500 unidades agendadas para esta série limitada e numerada. Finalmente está disponível a única motocicleta do mundo aprovada para uso na estrada com chassi, braço oscilante e rodas de fibra de carbono. Uma obra-prima de engenharia mecânica, técnica e design “made in Italy”, que estabelece uma nova referência em termos de desempenho, estilo e atenção aos detalhes.

Ducati Panigale Superleggera V4
Foto: Ducati.com

A exclusividade dos materiais e soluções técnicas adotadas na Ducati Panigale Superleggera V4 também se reflete no número máximo de motocicletas previsto: 500 unidades numeradas acompanhadas de um certificado de autenticidade. A numeração progressiva das motocicletas (XXX / 500), coincidindo com o número do chassi, é mostrada na mesa de direção e na chave de ignição.

Ducati Panigale Superleggera V4
Foto: Ducati.com

O primeiro dos sortudos proprietários desta fantástica moto foi convidado a Borgo Panigale para uma cerimônia de entrega e, nos próximos dias, conhecerá pessoalmente Claudio Domenicali, CEO da Ducati, para receber sua Superleggera V4 001/500.

A singularidade do projeto da Ducati Panigale Superleggera V4 é sublinhada pelas experiências que a Ducati e a Ducati Corse reservaram exclusivamente para os proprietários de motocicletas: a “Experiência Superbike” – a possibilidade de todos os fãs que compram uma Superleggera V4 poderem experimentar a Panigale V4 R que participa do Campeonato Mundial de SBK, na pista em Mugello. Ainda mais incrível e exclusiva é a oportunidade – limitada a 30 proprietários da Superleggera V4 – de adquirir acesso à “Experiência MotoGP”, realizando assim o sonho de todo entusiasta de motos esportivas. Pela primeira vez, será possível pilotar a Desmosedici no circuito, acompanhado de perto pelos técnicos da Ducati Corse. Ambas as “experiências” foram confirmadas para 2021.

Um dos “mimos” que completa a experiência de compra da Ducati Panigale Superleggera V4 também inclui a possibilidade de personalizar os couros da moto com air bags da linha “SuMisura Ducati”, além de completar o visual com um capacete de carbono, ambos dedicados a esta moto, cujas cores e gráficos eles replicam.

Cada motocicleta Ducati Panigale V4 está equipada com um kit de corrida : escape completo para o uso da pista de corrida Akrapovič em titânio; tampa da embreagem aberta em fibra de carbono; tampa do braço oscilante em fibra de carbono com “slider” de titânio; kit de substituição de faróis e luzes; kit de remoção do suporte da placa; kit de remoção do suporte lateral; tampas de alumínio de substituição de espelho da carenagem frontal; analisador de dados Ducati + GPS (DDA + GPS); tampa de combustível de corrida, proteção da alavanca do freio, cobertura da motocicleta; suporte frontal e traseiro e carregador de bateria.

A moto é entregue dentro de uma caixa de madeira com personalização especialmente feita para o transporte desta obra-prima “made in Borgo Panigale”.

Finalmente, todos os clientes recebem uma reprodução em miniatura da Ducati Panigale Superleggera V4 em escala 1:10, modelada em formas aerodinâmicas futuristas. Um item de colecionador de verdade, personalizado com o seu número de moto.

Assista ao “parto” da unidade 01 das 500 que serão produzidas

Veja algumas fotos dessa máquina exclusiva

O post “Nascimento” da Ducati Panigale V4 Superleggera apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Yamaha Ténéré 700 Rally Edition http://tonaestrada.com.br/yamaha-tenere-700-rally-edition/ Wed, 17 Jun 2020 22:22:28 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3511 Inspirada nos pilotos lendários e nas icônicas máquinas da Yamaha que fizeram do Rally Paris Dakar a maior corrida do mundo, a Ténéré 700 Rally Edition presta homenagem aos heróis que conquistaram o deserto. Seu acabamento possui um esquema de cores azul e amarelo como as clássicas motos da Yamaha. Esta adventure bike de alta […]

O post Yamaha Ténéré 700 Rally Edition apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Inspirada nos pilotos lendários e nas icônicas máquinas da Yamaha que fizeram do Rally Paris Dakar a maior corrida do mundo, a Ténéré 700 Rally Edition presta homenagem aos heróis que conquistaram o deserto.

Seu acabamento possui um esquema de cores azul e amarelo como as clássicas motos da Yamaha. Esta adventure bike de alta cilindrada pode mudar sua vida.

Assista o vídeo

Veja algumas imagens da Yamaha Ténéré 700 Rally Edition

O post Yamaha Ténéré 700 Rally Edition apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Ducati Hypermotard 950 RVE : arte e design http://tonaestrada.com.br/ducati-hypermotard-950-rve-arte-e-design/ Tue, 16 Jun 2020 21:47:21 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3459 A Ducati traz sua nova Hypermotard com o modelo 950 RVE que chega entre o modelo standard Hypermotard 950 e a top de linha Hypermotard 950 SP, completando a família Borgo Panigale de motos ‘divertidas’. A Hypermotard 950 RVE se destaca especialmente na parte estética e se caracteriza por sua decoração chamada “Graffiti”, inspirada na […]

O post Ducati Hypermotard 950 RVE : arte e design apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A Ducati traz sua nova Hypermotard com o modelo 950 RVE que chega entre o modelo standard Hypermotard 950 e a top de linha Hypermotard 950 SP, completando a família Borgo Panigale de motos ‘divertidas’.

A Hypermotard 950 RVE se destaca especialmente na parte estética e se caracteriza por sua decoração chamada “Graffiti”, inspirada na arte urbana. Os gráficos são baseados nos da Hypermotard 950 Concept, apresentado na prestigiada Concorso d’Eleganza Villa d’Este. Após o sucesso alcançado em 2019, especialmente nas redes sociais, a marca italiana decidiu colocá-lo em uma versão padrão.

Para alcançar a mesma qualidade de fabricação do ‘conceito’ no modelo RVE, um processo sofisticado de pintura e aplicação manual dos gráficos foram necessários, garantindo um resultado comparável ao de uma pintura feita com aerógrafo. Nas fases de pintura, foi empregada mão de obra altamente qualificada, usando decalques muito finos e adotando um processo particularmente longo e complexo. O resultado é comparável ao de uma pintura corporal com aerógrafo.

Esta Ducati não se limita apenas à estética e as alterações não se limitam aos gráficos. Além disso, também há uma melhora no equipamento, porque esta versão Hypermotard 950 RVE aumenta seu pacote eletrônico com o EVO Up e Down Ducati Quick Shift (DQS), que é adicionado aos componentes já presentes na versão em série: ABS Bosch Cornering with Slide by function Freio (na configuração 1), Ducati Traction Control Evo (DTC EVO) e Ducati Wheelie Control (DWC) EVO. Os mesmos componentes eletrônicos do modelo top de linha entre as Hypermotards, o 950 SP, que as difere são os gráficos esportivos, as suspensões Öhlins com curso mais longo e as rodas Marchesini forjadas.

Como todas as Hypermotards, a 950 RVE é alimentada pelo motor de 937 cc Testastretta 11° de dois cilindros, que fornece 114 hp a 9.000 rpm e 9,8 kgm de torque – dos quais mais de 80% está disponível na 3.000 rpm. É um motor perfeito para oferecer o máximo de diversão tanto na condução esportiva em um circuito quanto em estradas sinuosas e no uso diário em áreas urbanas.

A Hypermotard 950 é uma moto divertida por excelência, projetada para garantir um alto nível de diversão e controle na pilotagem. Inspirada em sua aparência motard, o design agressivo da moto gira em torno do par de escapamentos sob o assento e superestruturas menores que revelam os componentes mecânicos, incluindo o quadro multitubular traseiro que transmite leveza e essencialidade. A ergonomia garante ao piloto máxima capacidade de resposta em todas as situações. O assento é plano, particularmente fino para garantir amplitude de movimento e permitir que você alcance o chão com facilidade.

O post Ducati Hypermotard 950 RVE : arte e design apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Pueblo Escondido: a cidade fantasma do Vale Calamuchita http://tonaestrada.com.br/pueblo-escondido-a-cidade-fantasma-do-vale-calamuchita/ Tue, 16 Jun 2020 20:08:48 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3452 A cidade fantasma de Pueblo Escondido está localizada no Cerro Áspero, nas montanhas do Pampean (entre as províncias de Córdoba e San Luis, Argentina) a sudoeste do vale de Calamuchita e na margem direita do córrego El Tigre, a 2.000 metros acima do nível do mar. É uma mina abandonada da qual o tungstênio foi […]

O post Pueblo Escondido: a cidade fantasma do Vale Calamuchita apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A cidade fantasma de Pueblo Escondido está localizada no Cerro Áspero, nas montanhas do Pampean (entre as províncias de Córdoba e San Luis, Argentina) a sudoeste do vale de Calamuchita e na margem direita do córrego El Tigre, a 2.000 metros acima do nível do mar. É uma mina abandonada da qual o tungstênio foi extraído durante cerca de 75 anos, que já abrigou mais de 800 trabalhadores e hoje encontra-se em ruínas.

Pueblo Escondido
La Cascada Del Tigre – foto:Cesar Valiente

Para chegar até lá você pode sair cedo da Villa General Belgrano e rodar cerca de 90 km, compostos principalmente de estradas sem calçamento com paisagens muito bonitas, até chegar ao Puesto Del Tono. De lá, percorre-se a pé uma trilha até chegar ao antigo acampamento onde se esconde esta antiga cidade mineira.

Foto: http://www.voydeviaje.com.ar/

Este antigo assentamento de mineração também é acessível a partir da cidade de Merlo (San Luis), localizado a 25 km a noroeste. Por uma estrada que tem 20 km de asfalto e o restante sem calçamento. Outra opção é a partir da cidade de La Cruz, cerca de 60 km a sudoeste.

O mineral explorado naquela mina foi o tungstênio na forma de óxidos e sais, destinados principalmente à exportação, especialmente durante a Segunda Guerra Mundial, para uso como material bélico. O veio principal foi trabalhado por uma rota de 180m e a uma profundidade de 35m. Em seu tempo de esplendor, havia centenas de trabalhadores em Pueblo Escondido, instalações de moagem, concentração e separação de minerais por meios mecânicos, usina própria, hospital, alojamento para mineiros e chefes, telefone, etc. Havia também um teleférico de 300 metros de comprimento para baixar o mineral para a usina e uma bomba de combustível, entre outras instalações. Porém, não havia geólogo apenas mineiros especialistas, muitos trazidos do Chile e Bolívia.

Pueblo Escondido
Vista aérea do Cerro Áspero e Pueblo Escondido (abaixo) – Foto: http://www.cordobaoutdoor.com.ar/

É, sem dúvida, uma mina abandonada muito impressionante, tanto pelo local onde está localizada quanto pelo tamanho de suas ruínas.

“A mina Cerro Áspero operou do final do século 19 até 1969. Fechou quando o preço internacional do tungstênio caiu, enquanto ao mesmo tempo o mineral da mais alta qualidade estava acabando. Mas a sentença de morte da mina foi dada pela entrada, no mercado mundial de tungstênio, da República Popular da China, na década de 1980. Atualmente, 85% do tungstênio usado pela indústria mundial vem da China, uns 5% da Rússia, 3% do Canadá e os 7% restantes de alguns países. A maior concentração de minas de tungstênio no mundo está no sudeste da China “

Jorge Sfragulla, geólogo da Faculdade de Ciências Exatas, Físicas e Naturais da Universidade Nacional de Córdoba.
Pueblo Escondido
Foto antiga de Pueblo Escondido. Foto : https://www.geocaching.com/

Hoje, as instalações abandonadas servem como refúgio de montanha para os amantes da natureza que querem explorar este lugar maravilhoso e sua história imponente.

Assista um pequeno vídeo sobre Pueblo Escondido:

O post Pueblo Escondido: a cidade fantasma do Vale Calamuchita apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Honda CB4 X, a nova crossover de 4 cilindros da Honda? http://tonaestrada.com.br/honda-cb4-x-a-nova-crossover-de-4-cilindros-da-honda/ Sat, 06 Jun 2020 18:10:36 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3424 No estande da Honda, os visitantes puderam admirar a nova CB4 X Concept, que representa o protótipo de uma motocicleta que poderá - um dia - ficar entre os segmentos de turismo esportivo e crossovers de médio porte.

O post Honda CB4 X, a nova crossover de 4 cilindros da Honda? apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Juntamente com a nova Honda Fireblade CBR 1000RR-R, a outra grande protagonista do estande da Honda em Milão foi uma surpresa desenvolvida pelo estúdio de design da empresa em Roma – a Honda CB4 X.

Honda CB4 X
Foto: Motociclismo.es

A verdade é que o estande da Honda do ano de 2019 teve dois protagonistas proeminentes: Honda Fireblade CBR 1000RR-R – top de linha – e sua versão “standard”, que pudemos ver dias antes de filmá-la em Suzuka. Mas, além das motocicletas mais esportivas ou de uma unidade da Honda RC213V de Marc Márquez, a máquina que recebeu mais visitas e atenção foi um protótipo que se destacou por sua imagem inovadora, especialmente para o setor a que se destinava.

Esta Honda CB4 X foi descrita por seus criadores, a equipe de design da Honda em Roma, como um “crossover” para encontrar “diversão sete dias por semana”.

Honda CB4 X
Foto: Motociclismo.es

Em outras palavras, uma mistura de dois segmentos. Mas, ao contrário do Honda Crosstourer que vimos anos atrás, com o motor de 1.200cc que tentava mesclar o uso off-road com asfalto, como, por exemplo, a Ducati Multistrada, essa nova “crossover” visa combinar turismo e esportividade.

Honda CB4 X
Foto: Motociclismo.es

A verdade é que, quando se trata de introduzir novos conceitos e designs ao público, as marcas não economizam nos componentes ou peças top de linha que são simplesmente mais atraentes. Portanto, é difícil julgar como seria uma série CB4 X de produção comercial observando seu protótipo. Mas, de qualquer forma, não parece que os freios Brembo, o espetacular sistema de escapamento da SC-Project (parceiro da Honda no MotoGP), os garfos e o amortecedor Öhlins cheguem a uma Honda de cilindrada média, movida pelo motor de quatro cilindros de 650cc. Em princípio, o mesmo motor que está equipado no Honda CB650R da família Neo Sports Café, com 95 cv de potência e 6,4 kgf.m de torque

Honda CB4 X
Foto: Motociclismo.es

Apesar de uma posição de pilotagem relativamente confortável, graças a um guidão amplo e alto, o conjunto inspira um comportamento esportivo devido à traseira alta e à frente “em ataque” com um topo pontiagudo.

Atrás, alinhado com a saída de escape dupla, encontramos um braço oscilante do tipo monobraço, que mostra toda a beleza da roda traseira de dez raios.

Será que iremos vê-la no mercado? E, em caso positivo, ela manterá sua aparência radical?

Algumas fotos da Honda CB4 X

O post Honda CB4 X, a nova crossover de 4 cilindros da Honda? apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Suzuki Virus 1000 R uma super naked http://tonaestrada.com.br/suzuki-virus/ Wed, 27 May 2020 20:12:43 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3402 Você provavelmente já encontrou uma foto da Suzuki Virus por aí, mas nenhuma como essas que trazemos agora, uma preparação em busca do melhor desempenho para uma supernaked sem igual. Não faz muito tempo, a lendária Suzuki GSX-R 1000 passou por uma tremenda reformulação interna e externa. Em 2017, seu ano de estreia com nova […]

O post Suzuki Virus 1000 R uma super naked apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Você provavelmente já encontrou uma foto da Suzuki Virus por aí, mas nenhuma como essas que trazemos agora, uma preparação em busca do melhor desempenho para uma supernaked sem igual.

Suzuki Virus
Foto: Motciclismo.es

Não faz muito tempo, a lendária Suzuki GSX-R 1000 passou por uma tremenda reformulação interna e externa. Em 2017, seu ano de estreia com nova configuração, ela conseguiu conquistar o Troféu Turístico da Ilha de Man – TT Isle of Man com Michael Dunlop pilotando, algo que deixou muito claro o nível da superbike japonesa. A moto também deixou uma impressão muito boa em Sergio Romero, quando ele pôde testá-la na apresentação organizada pela Suzuki em Phillip Island.

Um ano depois, totalmente imersa no mundo das supernakeds, a Suzuki Suíça apresenta um kit de preparação para colocar no mercado uma motocicleta que faz muita falta no catálogo da marca. Foi a Suzuki Virus, uma supernaked que, por desempenho e imagem, entrou em concorrência direta com máquinas como KTM Super Duke 1290 R, Yamaha MT-10 ou Aprilia Tuono V4 1100. Sim, é verdade que a marca de Hamamatsu já comercializa a GSX -S 1000 neste segmento (que herdou o motor do GSX-R 2005), mas em termos de desempenho está um pouco atrás das suas rivais neste segmento

A Suzuki Virus foi apresentada na feira mais importante do país, a Swiss-Moto, e imediatamente chamou a atenção de toda a comunidade, vendendo seus primeiros kits. A modificação, no entanto, concentra-se na aparência exterior da moto. O semi-guidão original, que ficava abaixo da linha do banco, é substituído por um guidão alto e relativamente largo, e também perde a carenagem para ficar com a aparência naked, além de perder os painéis de carenagem lateral e ganhar uma nova máscara frontal inspirada nas linhas da GSX-R. Em 2019, longe de abandonar o projeto, eles continuam a aprimorá-lo com um guidão Montacc, iluminação LED etc … uma lista dos componentes da mais alta qualidade para obter a melhor dessa Suzuki naked.

Suzuki Virus
Foto: Motciclismo.es

O projeto da Suzuki Virus agrada e, em pouco tempo, várias empresas do setor apareceram com novidades em equipamentos para ela, sabendo que o resultado seria uma motocicleta que atrairá muita atenção em todas as plataformas. Assim, empresas como Lightech, Akrapovic, Thyssenkrupp, Ilmberger Carbon, Magura ou HEL entram no jogo e cada uma coloca o melhor de seu catálogo, jogando mais lenha na fogueira da Suzuki Virus.

O primeiro passo é, obviamente, obter um Suzuki GSX-R 1000 R. A seguir encomende um kit “Suzuki Virus” da Suzuki Suíça, que funciona sem problemas e chega rapidamente aos países vizinhos (não temos informações sobre envio ao Brasil). Em apenas algumas horas de trabalho, a superbike vencedora do TT em 2017 vai se tornar uma fera sem carenagem.

No que diz respeito à eletrônica, nenhuma alteração importante é feita na Suzuki Virus, pois será necessário manter o uso “de rua” dela. Obviamente, é investido na melhoria da frenagem com mangueiras metálicas HEL e na instalação de uma bomba de freio radial Magura HC3. Além disso, os discos de freio originais são substituídos pelo Disco de Corrida Moto-Master Halo T-Floater 6.0, usado por algumas equipes no campeonato mundial de Superbike.

Para tornar a postura de condução mais suportável, os apoios para os pés originais são substituídos pelos apoios Lightech, que permitem a “desradicalização” da posição original dos pés, mantendo uma aderência perfeita com a bota. Os protetores laterais, a alavanca da embreagem e a proteção de fibra de carbono do mesmo fabricante são montados na moto.

Suzuki Virus
Foto: Motciclismo.es

Por último, mas não menos importante, um grande compromisso é feito com a fibra de carbono. A Ilmberger é responsável pela proteção do chassi, do braço oscilante e do cárter. Além disso, são montadas rodas de fibra de carbono da empresa alemã TKCC, que oferecem uma redução significativa de 2 kg em peso em comparação com as de alumínio originais, em um ponto chave para o comportamento da motocicleta. Como se isso não bastasse, o ex-campeão do campeonato alemão de superbike, Martin Bauer, especialista em suspensões, é o responsável pela aposta no ajuste perfeito do garfo dianteiro e do amortecedor traseiro.

A motorização não foi modificada para não comprometer sua confiabilidade, mas um escape da Akrapovic foi montado, subtraindo 1,3 kg de peso e melhorando levemente o torque e a potência máxima.

O resultado é uma motocicleta que, apesar de ter suavizado algumas de suas características, ainda se comporta como uma máquina de alto desempenho, com incrível agilidade para conectar curvas e uma incrível facilidade de tirar a roda do chão na terceira ou quarta marcha se você acelerar forte.

Nesse momento, você se perguntará, com toda a razão do mundo, se são necessários mais de 200 cv em uma motocicleta sem nenhuma proteção aerodinâmica. A resposta varia entre os pilotos, mas a verdade é que motocicletas como a espetacular Ducati Streetfighter V4 recebem todos os tipos de elogios.

E você, gostaria de ver algo assim levado para a produção em série?

Veja mais fotos aqui!

O post Suzuki Virus 1000 R uma super naked apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A Ruta Nacional 40 – um tesouro aos pés dos Andes http://tonaestrada.com.br/a-ruta-nacional-40/ Mon, 18 May 2020 16:11:38 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3380 A Ruta Nacional 40 é uma rodovia argentina emblemática para nós, motociclistas viajantes. Todo aventureiro que tenha visitado os Andes, provavelmente passou por um trecho dela. Conheça um pouco mais sobre ela na descrição abaixo, feita pelo site Wikipedia.org. “A Ruta Nacional 40 é uma rodovia argentina que percorre o país de sul a norte […]

O post A Ruta Nacional 40 – um tesouro aos pés dos Andes apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A Ruta Nacional 40 é uma rodovia argentina emblemática para nós, motociclistas viajantes. Todo aventureiro que tenha visitado os Andes, provavelmente passou por um trecho dela. Conheça um pouco mais sobre ela na descrição abaixo, feita pelo site Wikipedia.org.

“A Ruta Nacional 40 é uma rodovia argentina que percorre o país de sul a norte desde a província de Santa Cruz até a divisa com a Bolívia, tornando-se desta forma a mais extensa rodovia da Argentina.

A rodovia corre paralela à Cordilheira dos Andes, incluindo trechos próximos ou em Parques Nacionais. Percorre várias das regiões turísticas e dos atrativos mais importantes do território argentino.

A Ruta Nacional 40 percorre 5224 km: começando ao nível do mar, atravessa 20 parques nacionais, 18 importantes rios, conecta 27 passos de montanha na cordilheira e sobe aos 4895 metros de altitude no passo de montanha denominado Abra del Acay, na província de Salta.

Foto: Felipe Ribeiro

Abra del Acay (5061 m) em Salta.

Como a legendária U.S. Route 66 dos Estados Unidos, a Ruta Nacional 40 é um emblema da Argentina. Esta rodovia cruza 11 províncias: Santa Cruz, Chubut, Rio Negro, Neuquén, Mendoza, San Juan, La Rioja, Catamarca, Tucumán, Salta e Jujuy.

Através desta rodovia pode-se chegar a El Calafate, próximo do Glaciar Perito Moreno, Lago Puelo, El Bolsón, Bariloche, Chos Malal, a Rodovia do Vinho nas províncias de Mendoza e San Juan, sítios de fósseis de dinossauros na Província de San Juan, águas termais em Catamarca, as Ruinas de Quilmes, os Vales Calchaquíes e a Puna.

Nesta rodovia foram realizadas algumas obras de pavimentação desde que no ano de 2004 este percurso foi impulsado pela Secretaria de Turismo como produto turístico nacional, o que permitiu assegurar mais fundos para a construção desta rodovia. Em 2006 a Ruta Nacional 40 estava pavimentada em aproximadamente 48%. Neuquén e Río Negro são as únicas províncias onde a rodovia está totalmente pavimentada, ao passo que em Salta e Jujuy há poucos trechos com pavimento.

Desde que a rodovia começou a ser construída em 1935 sofreu várias modificações no seu percurso. Em 24 de novembro de 2004 a Dirección Nacional de Vialidad publicou a Resolução 1.748/04, que alterou os marcos quilométricos para que o km zero ficasse no extremo sul do percurso, em Cabo Vírgenes. Como não existe o trecho construído entre Cabo Vírgenes e Punta Loyola, final do antigo traçado, a rodovia começa no km 100. Até esta data a rodovia estava dividida em Ruta 40 Sul e Ruta 40 Norte, estando originalmente o quilômetro zero na interseção da Avenida San Martín e a Rua Garibaldi na cidade de Mendoza.

Em 20 de maio de 2005 a Dirección Nacional de Vialidad firmou um convênio com a província de Jujuy, pelo qual se transferem trechos das rodovias provinciais 85, 70, 74, 7, 64, 65 e 5 à Nação para construir o chamado “corredor minero”, que é o novo traçado da Ruta Nacional 40, mais a oeste da província. Desta maneira se alterou a denominação do caminho entre San Antonio de los Cobres e Abra Pampa para Ruta Nacional 1V40.”

Descubra algumas atrações na Ruta 40

Ok, agora você já sabe o que é a “Ruta Nacional 40” em termos de importância para os mototuristas brasileiros e sul americanos. Então descubra no mapa abaixo, alguns dos pontos de interesse nela, pega a motoca e vai pra estrada. Vale muito a pena!

Imagem: destinosdeamerica.com

Veja algumas fotos feitas pelo nosso colaborador Felipe Ribeiro em suas diversas viagens cruzando a Ruta 40.

O post A Ruta Nacional 40 – um tesouro aos pés dos Andes apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
Cosmo Moto luz de emergência inteligente http://tonaestrada.com.br/cosmo-moto-luz-de-emergencia-inteligente/ Thu, 14 May 2020 22:16:10 +0000 http://tonaestrada.com.br/?p=3368 O dispositivo Cosmo Moto atua como uma luz de posição, luz de parada e luz de emergência automaticamente, dependendo da situação.

O post Cosmo Moto luz de emergência inteligente apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>
A Cosmo Connect é uma jovem empresa francesa especializada no design e fabricação de artigos eletrônicos de segurança passiva para veículos de mobilidade urbana, e apresenta agora sua luz de emergência.

Cosmo Connect luz de emergência

O crescente uso de bicicletas, bicicletas elétricas e scooters pequenos nas cidades tornou evidente a carência desses veículos em termos de iluminação e sinalização, devido à ausência geral de piscas e luzes de freio ou de emergência. Elementos importantes para uma circulação organizada, para que os demais usuários saibam o que estamos fazendo e o que faremos, e evitar que as manobras de alguns conflitem com as dos outros e causem acidentes.

Cosmo Connect luz de emergência

É por isso que o Cosmo Connect foi criado: uma luz “inteligente”, que é rapidamente conectada ao capacete e pode atuar como uma luz de posição, luz de freio e também uma luz de emergência. Tudo isso sem ser conectado por cabos à motocicleta, mas graças a dois sensores internos de aceleração, cada um com três eixos. Esses acelerômetros identificam quando mantemos uma velocidade constante, quando emite uma luz constante, suficiente para outros usuários da estrada nos verem, mas sem causar reflexos.

Cosmo Connect luz de emergência

Também reconhece quando desaceleramos, uma circunstância em que emite uma luz mais intensa para avisar os que estão atrás de nós. Da mesma forma, o Cosmo detecta uma parada repentina e permanente, que interpreta como queda ou acidente, e não apenas sinaliza com um piscar intermitente da luz, mas também ativa um sistema de chamada para notificar a situação a um contato preá-configurado. Pode até funcionar como um indicador de direção ou piscar por meio de um controle remoto com uma conexão bluetooth.

Como você pode ver, as funções são aplicáveis ​​ao viajar com veículos como bicicletas e scooters, mas o modelo Cosmo Moto foi projetado para motociclistas, devido à vantagem de adicionar uma luz de sinalização extra e localizada em um ponto tão visível quanto a parte traseira do capacete, posição na qual é fixada por meio de um sistema rápido por ímãs em uma faixa adesiva pré-instalada no capacete. Sua possibilidade de uso em diferentes circunstâncias será apreciada por aqueles que combinam diferentes meios de transporte em sua mobilidade urbana ou lazer. Além disso, será ótimo para os fãs de trilhas mais radiais, em que a parte traseira do capacete geralmente acumula muito menos poeira e sujeira do que a iluminação típica da motocicleta (localizada no para-lama traseiro).

Cosmo Connect luz de emergência

Entre os detalhes técnicos do Cosmo Moto, destaca-se o uso da tecnologia LED, possui bateria de íon de lítio com 8 horas de autonomia, é carregado por um cabo micro USB – carga total em 2 horas e 40 minutos – e suas funções podem ser facilmente configuradas usando um aplicativo de telefone celular. Está disponível em três cores: preto fosco, preto brilhante e branco brilhante.

O post Cosmo Moto luz de emergência inteligente apareceu primeiro em Tô Na Estrada.

]]>